NFB na Hiperatividade/Défice de Atenção 


A Perturbação de Hiperatividade com Défice de Atenção (PHDA) é uma das áreas em que o neurofeedback apresenta resultados bastante satisfatórios. Existe um elevado interesse da comunidade científica em estabelecer critérios e protocolos de neurofeedback para a PHDA. Em regra, o reforço da atividade sensoriomotora (ritmo cerebral entre os 12 Hz e os 15 Hz que se regista na região central Rolândica do cérebro e que somente surge perante determinados graus de relaxamento muscular e determinados níveis de atenção) está associada à atenção e à integração sensorial e controlo motor da musculatura das pernas e braços, com especial enfoque nas mãos.

Os estudos científicos e a nossa experiência revelam que a estimulação da atenção e o relaxamento dos músculos, por um período prolongado (vários minutos consecutivos) induzem determinadas regiões do cérebro a trabalhar de forma sincronizada. Por sua vez estas regiões influenciam as áreas corticais responsáveis pelos comportamentos desajustados (impulsivos e/ou socialmente desadequados) a funcionar de uma forma mais eficiente. Tal traduz-se por maior controlo dos movimentos e por níveis de atenção mais elevados.

Embora o reforço da atividade sensoriomotora seja o protocolo mais comum, nem sempre é o mais adequado, pois outras áreas cerebrais podem estar desreguladas ou podem existir outras patologias cujos sintomas também incluem perturbações da atenção e precário controlo dos impulsos. Por este motivo, a avaliação destas crianças implica a realização de um eletroencefalograma, pois este exame permite-nos direcionar melhor os ritmos cerebrais a estimular.

Chamo a particular atenção para a epilepsia. Como Investigadora nesta área, não posso deixar de alertar os pais e profissionais de saúde que trabalham com crianças hiperativas, que alguns tipos de epilepsia não se manifestam pelas conhecidas crises convulsivas motoras, como são exemplo as crises tonico-clónicas generalizadas. A título de exemplo, a epilepsia de ausências passa praticamente despercebida; o que é notório é a falta de atenção e o insucesso escolar. Esta patologia é totalmente diferente do PHDA e deverá ser tratada com medicação específica (e os fármacos usados para o PHDA não são aconselhados).

Escrito por Gisela Maia


Nº Visitas: 249859 Conteúdo da responsabilidade de MediBrain-Clínica Médica*Neurofisiologia*Bem-Estar
:: © 2012-04-13 - Todos os direitos reservados ::
:: Política de privacidade ::
MediBrain-Clínica Médica*Neurofisiologia*Bem-EstarFuture Healthcare Saúde prime, neurologia, ortopedia, psiquiatria, pedopsiquiatri, fibromialgia, ortopedia, advancecare groupama, eletroencefalograma, neurofeedback porto, RNA Medical, Multicare Victória seguros, dormir mal, acupunctura, hiperactividade, eletromiografia multicare, insónias, neurofeedback, epilepsia, atenção ansiedade, podologia,